FT-CI

Argentina

Carta do PTS (FT-QI) ao Partido Obrero

21/02/2012

Esta carta foi entregue em mãos ás distintas direções do PO e Izquierda Socialista na última quarta-feira, 15 de fevereiro.

Companheiros:

Ontem nos interamos através de declarações do companheiro Altamira em uma nota do diário Página/12 que em seu próximo congresso partidário discutirão uma proposta de constituição de um partido comum das forças que integramos a FIT. Estas declarações nos foram ratificadas por Gabriel Solano. Antes de tudo, queremos saldar o que poderia ser o início de uma séria e profunda discussão entre toda a militância da FIT sobre quais devem ser os caminhos para construir um grande partido de trabalhadores revolucionário na Argentina, e a reconstrução da IV Internacional frente ã crise histórica do capitalismo, tal como vem propondo o PTS há meses dentro da Frente de Esquerda.

Como concordamos plenamente com a definição de Altamira, “nem unidade sem princípios, nem sectarismo liquidacionista”, reafirmamos a necessidade de começar a discutir já os acordos e diferenças teórico/políticas, programáticas e estratégicas que tem nossas respectivas organizações, para além dos denominadores comuns estabelecidos no programa da FIT.

Esta tem sido nossa perspectiva em reiteradas oportunidades [1], buscando explorar as condições para a constituição de um partido comum dos que nos reivindicamos marxistas revolucionários (trotskistas) e pela reconstrução da IV Internacional. Para nós, a FIT reatualizou essa perspectiva, como formulou nosso companheiro Christian Castilho em uma reportagem do “La Verdad Obrera”, logo após as eleições de outubro (27/10/2011). Ali agregávamos um aspecto que consideramos muito importante: “Porque não realizar estas discussões indispensáveis para a construção de tal partido revolucionário de cara a toda a vanguarda que hoje se referencia com a Frente?” Para isso colocamos como perspectiva para a FIT, em fins de outubro, propostas de implementação imediata que agora esperamos poder finalmente concretizar:

1) Um blog e/ou boletim de debate de toda a militância das organizações que integramos a FIT sobre os fundamentos indispensáveis para a constituição de uma organização comum como colocamos acima.

2) A abertura de cada um dos nossos jornais com uma página por número para que as organizações da Frente possam difundir suas idéias e propostas sobre o debate.

3) Sobre internacional, reiteramos a resolução do XII Congresso do PTS de dezembro passado: “Tendo em vista o agravamento da crise capitalista mundial, a resistência que começam a exercer os trabalhadores e a juventude em vários países da Europa e o processo revolucionário aberto no Egito, o XII Congresso do PTS convoca os companheiros das forças integrantes e aderentes da FIT a realizar uma deliberação programática e estratégica para discutir as condições de uma eventual Conferência Internacional pela reconstrução/refundação da IV Internacional, o partido mundial da revolução socialista, fazendo extensiva essa proposta ás organizações internacionais que cada corrente integra. O PTS é parte da Fração Trotskista pela Quarta Internacional (FT-QI) que conta com organizações em doze países da América Latina e Europa”.

Não desconhecemos as diferenças entre as organizações da FIT. Neste aspecto, não coincidimos em considerar secundárias as diferenças históricas que mantemos em torno a, por exemplo, a organização do movimento de desempregados e sua relação com o Estado burguês, onde o balanço das experiências históricas deve nos permitir clarificar o programa com o qual enfrentaremos fenômenos similares; ou sobre questões de candente atualidade como a importante diferença com os companheiros da “Izquierda Socialista” em torno a atitude dos revolucionários frente a intervenção imperialista na Líbia, ou mais atualmente na Síria. Também temos diferenças, a nível nacional, em relação a um tema não menor como é a necessária delimitação com “Plataforma 2012”. Contudo, mantemos a necessidade de iniciar este debate para clarificar a magnitude dos acordos e diferenças programáticas para avançarmos em uma “unidade com princípios” de partidos na Argentina e dar passos importantes na reconstrução da Quarta Internacional.

Neste marco, consideramos essencial demonstrar já a vontade real das forças que integramos a FIT de avançar para além dos acordos eleitorais táticos que já temos estabelecido, evitando o “sectarismo liquidacionista”.

Daqui surge a importância que tem para o desenvolvimento da Frente de Esquerda a publicação de uma revista político-cultural mensal impulsionada pela Assembléia de Intelectuais em apoio a FIT, onde participa uma importante quantidade de companheiros e companheiras que não militam em nenhuma das correntes políticas que formam a Frente em escala nacional. Nos preocupa certa demora para sua concretização, pois acreditamos que seria um verdadeiro salto para nossa Frente: uma publicação desde a esquerda, do mais alto nível editorial e gráfico que sejamos capazes, que seria toda uma novidade na arena política e intelectual do país, já que não existe nada similar, delimitando os partidos capitalistas e sua intelectualidade afim. Temos em nossas mãos a possibilidade de ter uma publicação própria que chegue não só ás universidades, senão através da venda pública e nas bancas de todo país, a todos os setores que se tem tomado a FIT como referência. Este meio seria um instrumento superior para demonstrar a vontade unitária que as eventuais declarações que fazemos sobre fatos políticos de conjuntura nacional e internacional sobre os quais temos acordo.

Esperamos avançar na próxima reunião de coordenação da FIT tanto em conteúdo e forma para discutir o processo de uma eventual unificação de partido, como sobre o primeiro número da revista que se decidiu lançar na última reunião da Assembléia de Intelectuais em apoio a FIT, e todas as iniciativas que vocês e os companheiros da IS possam propor.

Saudações revolucionárias, Comitê Executivo do PTS 14/02/2012

[1] “Por un Partido Revolucionario Unificado”, LVO 109, 30/09/2002 y “Carta a la Izquierda Obrera y Socialista”, Suplemento Especial LVO, 19/12/2007, entre otras.

Notas relacionadas

No hay comentarios a esta nota

Jornais

  • EDITORIAL

    PTS (Argentina)

  • Actualidad Nacional

    MTS (México)

  • EDITORIAL

    LTS (Venezuela)

  • DOSSIER : Leur démocratie et la nôtre

    CCR NPA (Francia)

  • ContraCorriente Nro42 Suplemento Especial

    Clase contra Clase (Estado Español)

  • Movimento Operário

    MRT (Brasil)

  • LOR-CI (Bolivia) Bolivia Liga Obrera Revolucionaria - Cuarta Internacional Palabra Obrera Abril-Mayo Año 2014 

Ante la entrega de nuestros sindicatos al gobierno

1° de Mayo

Reagrupar y defender la independencia política de los trabajadores Abril-Mayo de 2014 Por derecha y por izquierda

La proimperialista Ley Minera del MAS en la picota

    LOR-CI (Bolivia)

  • PTR (Chile) chile Partido de Trabajadores Revolucionarios Clase contra Clase 

En las recientes elecciones presidenciales, Bachelet alcanzó el 47% de los votos, y Matthei el 25%: deberán pasar a segunda vuelta. La participación electoral fue de solo el 50%. La votación de Bachelet, representa apenas el 22% del total de votantes. 

¿Pero se podrá avanzar en las reformas (cosméticas) anunciadas en su programa? Y en caso de poder hacerlo, ¿serán tales como se esperan en “la calle”? Editorial El Gobierno, el Parlamento y la calle

    PTR (Chile)

  • RIO (Alemania) RIO (Alemania) Revolutionäre Internationalistische Organisation Klasse gegen Klasse 

Nieder mit der EU des Kapitals!

Die Europäische Union präsentiert sich als Vereinigung Europas. Doch diese imperialistische Allianz hilft dem deutschen Kapital, andere Teile Europas und der Welt zu unterwerfen. MarxistInnen kämpfen für die Vereinigten Sozialistischen Staaten von Europa! 

Widerstand im Spanischen Staat 

Am 15. Mai 2011 begannen Jugendliche im Spanischen Staat, öffentliche Plätze zu besetzen. Drei Jahre später, am 22. März 2014, demonstrierten Hunderttausende in Madrid. Was hat sich in diesen drei Jahren verändert? Editorial Nieder mit der EU des Kapitals!

    RIO (Alemania)

  • Liga de la Revolución Socialista (LRS - Costa Rica) Costa Rica LRS En Clave Revolucionaria Noviembre Año 2013 N° 25 

Los cuatro años de gobierno de Laura Chinchilla han estado marcados por la retórica “nacionalista” en relación a Nicaragua: en la primera parte de su mandato prácticamente todo su “plan de gobierno” se centró en la “defensa” de la llamada Isla Calero, para posteriormente, en la etapa final de su administración, centrar su discurso en la “defensa” del conjunto de la provincia de Guanacaste que reclama el gobierno de Daniel Ortega como propia. Solo los abundantes escándalos de corrupción, relacionados con la Autopista San José-Caldera, los casos de ministros que no pagaban impuestos, así como el robo a mansalva durante los trabajos de construcción de la Trocha Fronteriza 1856 le pusieron límite a la retórica del equipo de gobierno, que claramente apostó a rivalizar con el vecino país del norte para encubrir sus negocios al amparo del Estado. martes, 19 de noviembre de 2013 Chovinismo y militarismo en Costa Rica bajo el paraguas del conflicto fronterizo con Nicaragua

    Liga de la Revolución Socialista (LRS - Costa Rica)

  • Grupo de la FT-CI (Uruguay) Uruguay Grupo de la FT-CI Estrategia Revolucionaria 

El año que termina estuvo signado por la mayor conflictividad laboral en más de 15 años. Si bien finalmente la mayoría de los grupos en la negociación salarial parecen llegar a un acuerdo (aún falta cerrar metalúrgicos y otros menos importantes), los mismos son un buen final para el gobierno, ya que, gracias a sus maniobras (y las de la burocracia sindical) pudieron encausar la discusión dentro de los marcos del tope salarial estipulado por el Poder Ejecutivo, utilizando la movilización controlada en los marcos salariales como factor de presión ante las patronales más duras que pujaban por el “0%” de aumento. Entre la lucha de clases, la represión, y las discusiones de los de arriba Construyamos una alternativa revolucionaria para los trabajadores y la juventud

    Grupo de la FT-CI (Uruguay)