FT-CI

Daniel Matos

  • BRASIL - FRENTE À CRISE ECONÔMICA E POLÍTICA

    Como emergir uma alternativa à esquerda do PT?

    19.02.2016 O Brasil vive uma difícil situação em que um governo que tem uma relação histórica com os sindicatos está envolvido em graves escândalos de corrupção e implementa duros ataques, ao mesmo tempo em que uma oposição de direita igualmente corrupta quer destituí-lo para aplicar ajustes ainda mais duros. Como lutar por uma política independente que empalme com um setor de massas nesse cenário? Como emergir uma alternativa à esquerda do PT?

  • INTERNACIONAL

    PSOL, Syriza e a Frente de Esquerda na Argentina

    08.08.2015 Muitos companheiros do PSOL reivindicam os partidos “Syriza” na Grécia e “Podemos” no Estado Espanhol como exemplos a serem seguidos, de uma nova esquerda que foi capaz de sair da marginalidade. Entretanto, os caminhos trilhados por essa nova esquerda europeia, que inclui a capitulação de Tsipras aos ditames de Ângela Merkel, exigem como mínimo que debatamos os êxitos da Frente de Esquerda na Argentina como uma nova referência.

  • ELEIÇÕES ARGENTINAS

    A importância internacional das eleições na esquerda argentina

    31.07.2015 A Frente de Esquerda e dos Trabalhadores na Argentina ganhou relevância para a esquerda internacional nos últimos anos por ter conquistado uma projeção eleitoral poucas vezes conhecida para uma clara defesa da independência política dos trabalhadores em relação ã burguesia, ao mesmo tempo em que desenvolve uma militância nas fábricas e serviços estratégicos que encarna essa perspectiva numa vanguarda operária que protagoniza batalhas da luta de classes de dimensão nacional e começa a desafiar o poder da burocracia sindical. Essa experiência oferece um caminho alternativo aos que estão se decepcionando com a chamada “nova esquerda europeia”, seja a que existe na Grécia com o governo do Syriza de Tsipras ou a que existe no Estado Espanhol com o “Podemos” de Pablo Iglesias. A importância internacional das eleições na esquerda argentina.

  • ARGENTINA

    PTS, PO e os avanços da Frente de Esquerda na Argentina

    23.06.2015 Seguindo uma tendência ascendente desde que surgiu, a Frente de Esquerda e dos Trabalhadores na Argentina, que acaba de obter importantes triunfos eleitorais em distintos estados, medirá forças entre seus principais partidos integrantes para decidir os melhores candidatos a enfrentar os partidos capitalistas nas eleições de outubro de 2015. PTS, PO e os avanços da Frente de Esquerda na Argentina

  • Brasil | COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE

    Choro de Dilma lava a cara dos assassinos da ditadura militar

    10.12.2014 No dia 09/12 (terça-feira) foi anunciado o relatório da chamada “Comissão Nacional da Verdade”. Na cerimônia, Dilma celebrou o pacto que garante a impunidade dos responsáveis pelas torturas e assassinatos da ditadura militar. A Comissão Nacional da Verdade foi instalada em 2011. Foram ouvidos 1.120 depoimentos, e foram listados um total de 434 vítimas. Desses, 191 mortos, 33 desaparecidos que tiveram seus corpos encontrados, e 210 que permanecem sem localização. Durante todo o período de investigação, não foi encontrado mais que um corpo desaparecido, de Epaminondas Gomes de Oliveira, desaparecido no dia 20 de agosto de 1971.

  • REFORMA MINISTERIAL

    Brasil: Onde está a direita?

    26.11.2014 O PT vem fazendo, nas redes sociais, na blogsfera e nas revistas de “centro-esquerda”, uma barulhenta campanha sobre o que chamam de “3° turno”. Este seria uma suposta tentativa das forças oposicionistas de direita e seus tentáculos no Poder Judiciário de encontrar motivos legais para um impeachment de Dilma através de alguma relação entre sua campanha e o escândalo da Petrobrás.

  • ATO 1° DE NOVEMBRO

    Como combater a direita?

    12.11.2014 Quem viu os vídeos do ato na Avenida Paulista no dia 1 de novembro não pode mais que se indignar com essa direita reacionária que coloca a cabeça para fora defendendo a volta da ditadura. Vê-se o deputado federal recém eleito Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) ao microfone do carro de som aclamando a polícia com uma arma na cintura, ao lado de Lobão (que infelizmente decidiu não ir embora do país) com a bandeira do Brasil nas costas, e grupos de choque hostilizando transeuntes

  • Brasil

    O que expressa o resultado eleitoral?

    29.10.2014 Apesar de ter ganhado as eleições, desde 2002 o PT não terminava um pleito tão debilitado. Ainda que tenha voltado a se fortalecer no nordeste e ganhado o importante estado de Minas Gerais, a recente votação de Dilma foi bem inferior ã que ela mesma teve em 2010, e menor ainda do que as duas eleições ganhadas por Lula. O PT na maioria das cidades de maior concentração operária. Se fossem contabilizadas apenas as capitais do país, Dilma teria perdido as eleições para Aécio.

  • Brasil

    O debate sobre a débil “governabilidade” de Marina Silva

    19.09.2014 Um eventual governo de Marina terá, a princípio, débil base de sustentação no Congresso. Os “superpoderes” da instituição presidencial e o lobby empresarial minimizarão essa debilidade. Mas são as divergências sobre como lidar com a crise econômica, a disputa eleitoral antecipada por 2018 e os movimentos sociais que darão a palavra final.

  • Brasil

    Entre o fim do lulismo e a ameaça de uma direita renovada

    18.09.2014 Na disputa entre Dilma e Marina estão em jogo: a) a deterioração das bases econômicas que melhoraram as condições de vida dos brasileiros nos últimos anos; b) o choque entre as aspirações engendradas pelo lulismo e os limites impostos pelos problemas estruturais do país; e c) os elementos de crise de representatividade que explodiram em junho do ano passado.

  • Brasil | Eleições

    Nenhum voto na conciliação entre trabalhadores e patrões

    10.09.2014 Nessas eleições o PSOL de Luciana Genro volta a receber 15 mil reais da quinta maior rede de hipermercados do país, o grupo Zaffari. Essa não é uma novidade. Já nas eleições anteriores esse partido também recebeu dinheiro da Gerdau, um dos maiores monopólios de aço do Brasil, da Marcopolo, uma das maiores indústrias de produção de ônibus, da Taurus, uma das maiores empresas de armas do mundo, e de empreiteiras que financiaram a candidatura de Edimilson Rodrigues para prefeitura de Belém em 2012.

  • Brasil

    O PT de Dilma engana os trabalhadores

    06.09.2014 Dilma do PT, Aécio do PSDB, Marina do Rede “hospedada” no PSB, Eymael do PSDC, Fidelix do PRTB e Eduardo Jorge do PV são candidaturas que representam os patrões e este regime político – a democracia dos ricos. Os capitalistas são os responsáveis pela crise econômica que cada vez mais se instala no país e querem que nós trabalhadores paguemos a conta com inflação, desemprego, aumentos de tarifas e cortes nos gastos sociais. Todos eles escondem essa verdade por trás da demagogia das promessas eleitorais. Cada voto destinado a esses partidos será usado para legitimar os ataques que virão. Aproveitemos o debate eleitoral para fortalecer nossa organização independente e nos preparar para impor que a crise seja paga pelos capitalistas!

  • Brasil

    Marina Silva é parte da “velha política”

    05.09.2014 A burguesia busca utilizar as eleições para apagar a importância das manifestações de junho de 2013 e recompor a imagem dessa “democracia” dos ricos. Por trás da urna está o poder econômico, os milhões que financiam os candidatos, os luxuosos privilégios que sustentam a casta política. Uma máscara para continuar a explorar e oprimir a maioria do povo que sofre com as filas nos hospitais, a precariedade da educação, as enchentes todos os anos, a violência policial, os baixos salários. A demagogia de todos os principais candidatos capitalistas (Dilma Aécio, Marina) pretende esconder os planos de ajuste que implementarão para que sejam os trabalhadores quem pague a crise capitalista. Não podemos aceitar essa realidade. Aproveitemos o debate eleitoral para construir uma força política dos trabalhadores capaz de impor com a luta: Que todo político ganhe o mesmo que um professor! Que todos os cargos políticos sejam revogáveis a qualquer momento!

  • Brasil

    Uma morte que dá vida ã “terceira via” contra os trabalhadores

    20.08.2014 A morte por acidente aéreo do candidato a presidente Eduardo Campos gera uma reviravolta nas eleições que ocorrerão em outubro. Marina Silva, a vice-presidente do falecido, ao assumir a cabeça de chapa, mostra muito mais possibilidades de ganhar, dando força ao debate sobre a chamada “terceira via”, que seria uma alternativa ã tradicional oposição entre o PT de Lula e Dilma por um lado e, por outro, o PSDB do ex presidente Fernando Henrique Cardoso e do atual candidato Aécio Neves. Mas Marina, assim como Dilma e Aécio, não é uma alternativa para a maioria explorada e oprimida do país.

  • Brasil

    Por que não fazer um “voto útil” no PT como “mal menor”?

    11.08.2014 Daqui até as eleições uma das coisas que mais vamos ouvir será: “o PT é ruim, mas o PSDB é pior”. A campanha de Dilma faz ressoar a ladainha de que os tucanos são pessimistas em relação ao país. Dizem que Aécio representa o “retrocesso” ao que foi o neoliberalismo de FHC nos anos 90, com altos níveis de desemprego, privatizações e desvalorização dos salários. Mas não se trata só do que dizem os petistas. Os trabalhadores que aventam a possibilidade do “voto útil” se baseiam em sua própria experiência: sentem que sua família de fato melhorou de vida nos últimos anos, e veem que pessoas ao seu redor melhoraram de vida. Percebem na prática as estatísticas mostram – seja pelo aumento do emprego, a valorização do salário mínimo ou os programas assistenciais como o Bolsa Família – uma relativa diminuição da pobreza no país.

  • COPA DO MUNDO NO BRASIL

    Para quê serviu a Copa do Mundo no Brasil?

    16.07.2014 Apesar das muito medíocres passagens da seleção brasileira pelas oitavas e quartas de final, a paixão pelo futebol fez com que a torcida pela seleção tomasse o sentimento da maioria da população. Durante algumas semanas, as enchentes, as filas nos hospitais, as escolas que se assemelham a cadeias, a precariedade e os altos preços dos transportes, a falta de moradia, a corrupção deslavada, as greves contra a desvalorização dos salários provocada pela crescente inflação, todas essas questões que vinham se alternando no primeiro plano da realidade política nacional passaram para um segundo plano em função da torcida e da diversão proporcionada pelos jogos.

  • BRASIL | UMA ONDA DE GREVES PERCORRE O PAÍS

    Que as centrais sindicais convoquem uma paralisação nacional para unir as greves e retomar as demandas de junho

    22.05.2014 Os comerciais de televisão tentando enaltecer o Brasil do futebol para vender produtos tomam conta da imprensa. O governo se esforça para vender a imagem de uma Copa que faz bem para o povo. Mas o sentimento que cala fundo e que ninguém consegue esconder é o de que enquanto bilhões foram gastos para receber o megaevento, a maioria da população, que assistirá aos jogos como se fossem em qualquer outro país pelos preços elitistas dos ingressos, segue amargando com enchentes, filas nos hospitais, escolas caindo aos pedaços, transportes precários e caríssimos, falta de moradia, corrupção, e mais recentemente também a falta de água, a ameaça de falta de luz e a perda do poder aquisitivo pela crescente inflação.

  • Editorial Palabra Operaria Nª 101

    “Da copa eu abro mão, estatiza a UNIP, a Uninove e o busão!”

    10.02.2014 Os atos contra a Copa do Mundo ocorridos no dia 25 de janeiro tiveram uma repercussão relativamente muito superior ao que de fato seria de esperar pelo tamanho dos mesmos (o maior, em São Paulo, contou em seu auge com 3 mil pessoas). Par além das declarações de preocupação da FIFA e das reuniões entre Dilma e seus principais ministros para armar estratégias preventivas frente ã possibilidade de que grandes manifestações de massa venham a colocar em crise o megaevento, esse se transformou em um dos principais temas de colunistas e analistas políticos da grande imprensa.

  • EDITORIAL

    As tarefas da esquerda revolucionária para o começo de 2014

    25.01.2014 Alguns fatos políticos que marcam esse início de ano demonstram que as manifestações de junho de 2013, ao contrário de terem sido um "raio no céu sereno" que ficou para trás, como as classes dominantes e sua mídia querem nos fazer crer, causaram uma inflexão profunda no país, cujas consequências ainda reverberam. Os rolezinhos, o crescimento dos movimentos de moradia e a repercussão do assassinato de Kaique são fenômenos políticos da conjuntura que demonstram o "clima" favorável para o desenvolvimento de ações de massas dos setores mais explorados e oprimidos da sociedade. Esses se combinam com os movimentos contra as injustiças ligadas ã Copa, que seguramente darão lugar a acontecimentos políticos nos próximos meses.

  • Greves, ocupações, ações de rua, demandas democráticas e repressão

    Heranças de junho

    17.10.2013 Ainda que num patamar bem inferior ás grandes ações de massas de junho, em meio a uma nova conjuntura nacional na qual vêm ganhando cada vez mais centralidade uma dinâmica de greves que saem do “script” rotineiro e corporativo e o emergir de demandas democráticas profundamente sentidas no país, em 15 de outubro, dia nacional de feriado dos professores, houveram manifestações de protesto coordenadas da juventude e trabalhadores da educação em 15 cidades importantes do país, com fortes enfrentamentos com a polícia em especial em São Paulo e no Rio de Janeiro, levantando como uma de suas principais bandeiras a solidariedade ã heroica greve dos professores do Rio de Janeiro.


0 | 20 .. (26)
    0 | 20 .. (26)

Jornais

  • EDITORIAL

    PTS (Argentina)

  • Actualidad Nacional

    MTS (México)

  • EDITORIAL

    LTS (Venezuela)

  • DOSSIER : Leur démocratie et la nôtre

    CCR NPA (Francia)

  • ContraCorriente Nro42 Suplemento Especial

    Clase contra Clase (Estado Español)

  • Movimento Operário

    MRT (Brasil)

  • LOR-CI (Bolivia) Bolivia Liga Obrera Revolucionaria - Cuarta Internacional Palabra Obrera Abril-Mayo Año 2014 

Ante la entrega de nuestros sindicatos al gobierno

1° de Mayo

Reagrupar y defender la independencia política de los trabajadores Abril-Mayo de 2014 Por derecha y por izquierda

La proimperialista Ley Minera del MAS en la picota

    LOR-CI (Bolivia)

  • PTR (Chile) chile Partido de Trabajadores Revolucionarios Clase contra Clase 

En las recientes elecciones presidenciales, Bachelet alcanzó el 47% de los votos, y Matthei el 25%: deberán pasar a segunda vuelta. La participación electoral fue de solo el 50%. La votación de Bachelet, representa apenas el 22% del total de votantes. 

¿Pero se podrá avanzar en las reformas (cosméticas) anunciadas en su programa? Y en caso de poder hacerlo, ¿serán tales como se esperan en “la calle”? Editorial El Gobierno, el Parlamento y la calle

    PTR (Chile)

  • RIO (Alemania) RIO (Alemania) Revolutionäre Internationalistische Organisation Klasse gegen Klasse 

Nieder mit der EU des Kapitals!

Die Europäische Union präsentiert sich als Vereinigung Europas. Doch diese imperialistische Allianz hilft dem deutschen Kapital, andere Teile Europas und der Welt zu unterwerfen. MarxistInnen kämpfen für die Vereinigten Sozialistischen Staaten von Europa! 

Widerstand im Spanischen Staat 

Am 15. Mai 2011 begannen Jugendliche im Spanischen Staat, öffentliche Plätze zu besetzen. Drei Jahre später, am 22. März 2014, demonstrierten Hunderttausende in Madrid. Was hat sich in diesen drei Jahren verändert? Editorial Nieder mit der EU des Kapitals!

    RIO (Alemania)

  • Liga de la Revolución Socialista (LRS - Costa Rica) Costa Rica LRS En Clave Revolucionaria Noviembre Año 2013 N° 25 

Los cuatro años de gobierno de Laura Chinchilla han estado marcados por la retórica “nacionalista” en relación a Nicaragua: en la primera parte de su mandato prácticamente todo su “plan de gobierno” se centró en la “defensa” de la llamada Isla Calero, para posteriormente, en la etapa final de su administración, centrar su discurso en la “defensa” del conjunto de la provincia de Guanacaste que reclama el gobierno de Daniel Ortega como propia. Solo los abundantes escándalos de corrupción, relacionados con la Autopista San José-Caldera, los casos de ministros que no pagaban impuestos, así como el robo a mansalva durante los trabajos de construcción de la Trocha Fronteriza 1856 le pusieron límite a la retórica del equipo de gobierno, que claramente apostó a rivalizar con el vecino país del norte para encubrir sus negocios al amparo del Estado. martes, 19 de noviembre de 2013 Chovinismo y militarismo en Costa Rica bajo el paraguas del conflicto fronterizo con Nicaragua

    Liga de la Revolución Socialista (LRS - Costa Rica)

  • Grupo de la FT-CI (Uruguay) Uruguay Grupo de la FT-CI Estrategia Revolucionaria 

El año que termina estuvo signado por la mayor conflictividad laboral en más de 15 años. Si bien finalmente la mayoría de los grupos en la negociación salarial parecen llegar a un acuerdo (aún falta cerrar metalúrgicos y otros menos importantes), los mismos son un buen final para el gobierno, ya que, gracias a sus maniobras (y las de la burocracia sindical) pudieron encausar la discusión dentro de los marcos del tope salarial estipulado por el Poder Ejecutivo, utilizando la movilización controlada en los marcos salariales como factor de presión ante las patronales más duras que pujaban por el “0%” de aumento. Entre la lucha de clases, la represión, y las discusiones de los de arriba Construyamos una alternativa revolucionaria para los trabajadores y la juventud

    Grupo de la FT-CI (Uruguay)