FT-CI

Diana Assunção

  • BRASIL - LUTA CONTRA OS AJUSTES

    Por uma esquerda para enfrentar os ajustes e o governo na luta de classes

    15.10.2015 Não é um cenário fácil para resistir aos ajustes devido a que as direções das principais centrais sindicais e das entidades nacionais do movimento estudantil são controladas por governistas ou pela oposição de direita. Isso faz com que a resistência aos ataques seja ainda aquém do necessário. Por uma esquerda para enfrentar os ajustes e o governo na luta de classes.

  • BRASIL

    18 de setembro: enfrentar as demissões e o novo corte de 26 bilhões

    15.09.2015 É importante construir um grande ato no dia 18, contra o governo e a direita. Que esse seja parte da construção de um alternativa dos trabalhadores para a luta de classes, com um programa operário de saída pra crise e um plano de luta. O PSOL deveria se somar de conjunto a essa luta, que não pode ser com a CGTB. 18 de setembro: enfrentar as demissões e o novo corte de 26 bilhões

  • PARALISAÇÃO NACIONAL 29M

    Porque é preciso construir uma terceira força na paralisação do dia 29?

    26.05.2015 A burocracia sindical está atuando conscientemente para impedir o surgimento de uma terceira via, ou melhor dizendo, uma terceira força dos trabalhadores, independente do governo e das próprias burocracias, mas também da direita tucana. A melhor maneira de fazer isso é por um lado controlando sua própria base, mas por outro comprometendo todos os setores da esquerda com um programa ambíguo que termina defendendo o governo Dilma.

  • FRENTE A CRISE DO PT

    A classe trabalhadora precisa entrar em cena como sujeito político

    24.03.2015 Nas últimas semanas,analisamos a situação nacional a partir do emblemático dia 15 de março, um ato hegemonizado pela direita (ainda que com uma participação ampla, para além das direções) e que foi amplamente debatido nos jornais, nas redes sociais e nos locais de trabalho e estudo. Naquele momento, já dizíamos que, frente a um ato de composição majoritariamente de classe média, a classe trabalhadora e a população mais pobre ficou num papel de “expectativa”, compartilhando da insatisfação com o governo e com a corrupção, e também com as péssimas condições dos serviços públicos.

  • Brasil

    Greve dos trabalhadores da USP completa 80 dias

    16.08.2014 Hoje completamos 80 dias de greve. Na última semana os trabalhadores da USP realizaram uma manifestação histórica: retomando os métodos clássicos da classe trabalhadora, organizamos um piquete total fechando toda a cidade universitária. Esse piquete foi finalizado por um enorme ato em volta da universidade, dialogando com a população e gritando “não tem arrego!”.

  • GREVE DA USP

    Em dia histórico, trabalhadores da USP fecham a universidade inteira e Fábio Hideki é libertado

    07.08.2014 Diante da intransigência da Reitoria da USP cortando os salários dos trabalhadores em greve, só havia uma resposta: radicalizar. Os trabalhadores da USP lançaram mão dos métodos da classe operária, como os piquetes, mas dessa vez em formato inédito na universidade: um trancaço total da USP, dos três portões principais e dos portões menores de pedestres, mantendo aberto apenas a entrada do Hospital Universitário, bem como liberando entrada das Ambulà¢ncias por qualquer portão. Além disso, foi garantido pelo movimento grevista a liberação dos ônibus das crianças da Escola de Aplicação que fariam excursão neste mesmo dia.

  • Brasil

    Crise sindical e a luta pela construção de um partido revolucionário no Brasil

    26.06.2014 Este ano marca o início de um forte processo da classe trabalhadora brasileira, que teve como antessala as grandes jornadas de junho de 2013. Trata-se da maior onda de greves em vinte anos. Para os revolucionários analisar os processos de ruptura dos trabalhadores com o lulismo e seus agentes – os burocratas sindicais – é exercício fundamental na reflexão sobre a construção de um partido revolucionário no Brasil.

  • WENDY GOLDMAN NO BRASIL!

    “Mulher, Estado e revolução” de Wendy Goldman, chega ao Brasil em pleno maio operário

    22.05.2014 Não haveria momento melhor pra lançar o livro “Mulher, Estado e revolução” no Brasil. Em meio a greves operárias e manifestações, trazer a tona os debates mais profundos que os revolucionários e a classe operária russa levaram adiante será fonte inesgotável de lições para a classe operária brasileira, em especial as mulheres.

  • UM PROCESSO INICIAL DE EXPERIÊNCIA COM O LULISMO

    Está surgindo um novo movimento operário

    18.04.2014 2014 começou quente no que diz respeito ás lutas operárias, e enquanto isso as pesquisas mostram a queda de popularidade do governo Dilma – o que por enquanto não altera a tendência principal de manutenção do governo petista. As jornadas de junho foram a “ante-sala” destes processos mais profundos na classe operária, que por enquanto parecem estar apenas em seus princípios. Estes processos já são expressão da experiência inicial de amplos setores da classe com a burocracia sindical dos anos de governo Lula e Dilma, o que abre espaço para avançar na construção de uma ampla organização revolucionária de trabalhadores

  • Brasil - Editorial Palavra Operária

    Nossas batalhas no movimento operário depois de junho e da histórica greve dos garis do Rio de Janeiro

    20.03.2014 As jornadas de junho no Brasil abriram uma nova etapa na luta de classes e por isso abriram novas possibilidades para pensar a inserção no movimento operário com as ideias e a prática do marxismo revolucionário. A partir da última Plenária Nacional da LER-QI, que reuniu delegados de vários estados, expressamos neste artigo parte dessas reflexões e como encaramos a tática e estratégia nas batalhas cotidianas no movimento operário.

  • ENCONTRO NACIONAL

    Construa junto ã LER-QI um Encontro de Trabalhadores e Estudantes para debater as lições de junho e as tarefas do próximo período

    26.09.2013 A partir do balanço das jornadas de junho, de uma análise das perspectivas que se abrem e das tarefas que se colocam na situação nacional, em recente Plenária Geral da Liga Estratégia Revolucionária, votamos um chamado a todos os setores que militam e simpatizam conosco a construir a partir da base um Encontro de Trabalhadores e Estudantes, onde unifiquemos trabalhadoras e trabalhadores, efetivos e terceirizados, a juventude que saiu ás ruas, a que está nas fábricas, nas escolas, nas universidades, as mulheres, os negros e negras.

  • Por Diana Assunção, diretora do Sintusp, direto de Santiago, Chile

    Paralisação geral começa com barricadas e enfrentamentos com a polícia

    25.08.2011 As 6h da manhã se levantavam as barricadas. Com fogo e ódio de classe, os estudantes, organizados desde suas faculdades e colégios, davam o sinal de que começava a paralisação nacional. Já são 3 meses de luta que mostram força contra este Chile patronal e da burguesia.

  • Reitoria da USP paga os salarios atrasados

    Uma primeira conquista na batalha estratégica pela efetivação dos terceirizados da USP

    21.04.2011 Após 12 dias em greve, os trabalhadores e trabalhadoras terceirizadas da empresa UNIÃO, que presta serviços para a Universidade de São Paulo, conseguiram arrancar o pagamento dos salários do mês de março, mantendo sua greve até a próxima semana para garantir o pagamento de todos os outros direitos.

  • Acompanhe a greve diariamente pelo site: www.ler-qi.org

    Grande luta dos trabalhadores da Universidade de São Paulo

    11.06.2010 Os trabalhadores da UPS, há 37 dias em greve, saíram à luta quando o reitor João Grandino Rodas, concedeu um aumento salarial de 6% aos professores, excluindo os trabalhadores.


.. (20)
    .. (20)

Jornais

  • EDITORIAL

    PTS (Argentina)

  • Actualidad Nacional

    MTS (México)

  • EDITORIAL

    LTS (Venezuela)

  • DOSSIER : Leur démocratie et la nôtre

    CCR NPA (Francia)

  • ContraCorriente Nro42 Suplemento Especial

    Clase contra Clase (Estado Español)

  • Movimento Operário

    MRT (Brasil)

  • LOR-CI (Bolivia) Bolivia Liga Obrera Revolucionaria - Cuarta Internacional Palabra Obrera Abril-Mayo Año 2014 

Ante la entrega de nuestros sindicatos al gobierno

1° de Mayo

Reagrupar y defender la independencia política de los trabajadores Abril-Mayo de 2014 Por derecha y por izquierda

La proimperialista Ley Minera del MAS en la picota

    LOR-CI (Bolivia)

  • PTR (Chile) chile Partido de Trabajadores Revolucionarios Clase contra Clase 

En las recientes elecciones presidenciales, Bachelet alcanzó el 47% de los votos, y Matthei el 25%: deberán pasar a segunda vuelta. La participación electoral fue de solo el 50%. La votación de Bachelet, representa apenas el 22% del total de votantes. 

¿Pero se podrá avanzar en las reformas (cosméticas) anunciadas en su programa? Y en caso de poder hacerlo, ¿serán tales como se esperan en “la calle”? Editorial El Gobierno, el Parlamento y la calle

    PTR (Chile)

  • RIO (Alemania) RIO (Alemania) Revolutionäre Internationalistische Organisation Klasse gegen Klasse 

Nieder mit der EU des Kapitals!

Die Europäische Union präsentiert sich als Vereinigung Europas. Doch diese imperialistische Allianz hilft dem deutschen Kapital, andere Teile Europas und der Welt zu unterwerfen. MarxistInnen kämpfen für die Vereinigten Sozialistischen Staaten von Europa! 

Widerstand im Spanischen Staat 

Am 15. Mai 2011 begannen Jugendliche im Spanischen Staat, öffentliche Plätze zu besetzen. Drei Jahre später, am 22. März 2014, demonstrierten Hunderttausende in Madrid. Was hat sich in diesen drei Jahren verändert? Editorial Nieder mit der EU des Kapitals!

    RIO (Alemania)

  • Liga de la Revolución Socialista (LRS - Costa Rica) Costa Rica LRS En Clave Revolucionaria Noviembre Año 2013 N° 25 

Los cuatro años de gobierno de Laura Chinchilla han estado marcados por la retórica “nacionalista” en relación a Nicaragua: en la primera parte de su mandato prácticamente todo su “plan de gobierno” se centró en la “defensa” de la llamada Isla Calero, para posteriormente, en la etapa final de su administración, centrar su discurso en la “defensa” del conjunto de la provincia de Guanacaste que reclama el gobierno de Daniel Ortega como propia. Solo los abundantes escándalos de corrupción, relacionados con la Autopista San José-Caldera, los casos de ministros que no pagaban impuestos, así como el robo a mansalva durante los trabajos de construcción de la Trocha Fronteriza 1856 le pusieron límite a la retórica del equipo de gobierno, que claramente apostó a rivalizar con el vecino país del norte para encubrir sus negocios al amparo del Estado. martes, 19 de noviembre de 2013 Chovinismo y militarismo en Costa Rica bajo el paraguas del conflicto fronterizo con Nicaragua

    Liga de la Revolución Socialista (LRS - Costa Rica)

  • Grupo de la FT-CI (Uruguay) Uruguay Grupo de la FT-CI Estrategia Revolucionaria 

El año que termina estuvo signado por la mayor conflictividad laboral en más de 15 años. Si bien finalmente la mayoría de los grupos en la negociación salarial parecen llegar a un acuerdo (aún falta cerrar metalúrgicos y otros menos importantes), los mismos son un buen final para el gobierno, ya que, gracias a sus maniobras (y las de la burocracia sindical) pudieron encausar la discusión dentro de los marcos del tope salarial estipulado por el Poder Ejecutivo, utilizando la movilización controlada en los marcos salariales como factor de presión ante las patronales más duras que pujaban por el “0%” de aumento. Entre la lucha de clases, la represión, y las discusiones de los de arriba Construyamos una alternativa revolucionaria para los trabajadores y la juventud

    Grupo de la FT-CI (Uruguay)