FT-CI

LER-QI, Brasil

  • Brasil

    Sobre a morte de Eduardo Campos

    13.08.2014 No dia 13 de agosto, Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco e candidato ã presidência pelo PSB, morreu em um acidente de avião na cidade de Santos. Frente a sua morte, a imprensa, assim como os políticos que se pronunciaram, buscam vender a imagem de que Campos teve uma carreira política voltada aos interesses do país, como se o Brasil não fosse um país extremamente desigual, com profundas contradições sociais que determinam interesses distintos e que se chocam entre si.

  • LIBERDADE IMEDIATA PARA TODOS OS PRESOS POR LUTAR

    Chega dessa farsa! Liberdade imediata para Fabio Hideki!

    06.08.2014 Saiu finalmente o resultado da perícia sobre os “artefatos explosivos” que serviram como justificativa para a prisão de Fabio Hideki e também para a negação de seu Habeas Corpus, o que faz com que ele esteja há mais de 40 dias preso em Tremembé. Foram duas perícias, que demoraram mais de um mês para “descobrir” que o pacote de salgadinhos e a garrafa de água de Fabio eram incapazes de explodir ou incendiar qualquer coisa.

  • Brasil

    Inflação: um ajuste dos governos e patrões contra os trabalhadores

    30.07.2014 Vemos a cada compra do mês que os alimentos estão consumindo cada vez mais a nossa renda. Todos os dias os jornais nos bombardeiam com notícias sobre a inflação destacando como é importante o aumento das taxas de juros (hoje em 11% as maiores do mundo) e no trabalho as chefias nos dizem que é hora de começarmos sacrifícios abrindo mão de nossa luta por aumentos reais nos salários, principalmente nas datas bases, como as que virão para o próximo semestre. Como os trabalhadores e o povo pobre devem encarar este fantasma que tanto nos assombra?

  • GREVE DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS PAULISTAS

    Os trabalhadores da USP, Unesp e Unicamp podem vencer

    30.07.2014 Mesmo com todo o cerco da mídia contra a nossa greve durante a Copa do Mundo, mesmo com as férias, e mesmo com a tentativa dos Reitores de dividirem nossa greve propondo reajustes específicos Unesp e Unicamp: a greve chega em agosto no mesmo ritmo e com a mesma força que se iniciou há mais de 60 dias! A tática de desgaste da Reitoria falhou! A divisão de tarefas entre Governador e Reitores não pode mais se sustentar com o início da campanha pré-eleitoral e a tentativa do governador Geraldo Alckmin se reeleger. É questão de vida ou morte para a Reitoria impedir que a greve dos trabalhadores entre no mês de agosto e interfira no prosseguimento do ano letivo.

  • Brasil

    Chega dos parasitas dessa “democracia dos ricos”

    23.07.2014 Vem se aproximando mais uma vez aquele momento no qual, a cada dois anos, nos dizem que decidimos o futuro do nosso país. À velha e gasta propaganda do “direito e dever de cidadão” que supostamente exercemos ao ir ás urnas, se soma um nem-tão-novo discurso que diz que “o verdadeiro protesto é nas urnas”. Essas “lições” vêm do mesmo lugar, e essa última, em particular, se dirige ã juventude que foi ás ruas ás centenas de milhares no ano passado e conseguiu barrar os aumentos das passagens; dirige-se também ás dezenas de milhares de trabalhadores que fizeram greves, muitas vezes atropelando seus próprios sindicatos, e conseguiram em muitos casos conquistar aumentos significativos – em especial os garis do Rio.

  • Brasil

    A luta das mulheres e o transporte público: um debate sobre os vagões exclusivos

    21.07.2014 Há um tempo vem se desenvolvendo na esquerda e no movimento feminista uma discussão acerca da criação de vagões exclusivamente para mulheres (também conhecidos no movimento como “vagões rosas”). Essa discussão adquiriu um novo capítulo no Estado de São Paulo nos últimos dias após aprovação na Assembleia Legislativa do projeto de lei (175/13), no dia 03/07, assinado pelo deputado Jorge Caruso do PMDB, que reserva um vagão específico para mulheres em cada trem da CPTM e metrô de SP. O que falta para ser aprovado é a sanção do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que teoricamente teria 15 dias para dar um resposta. Junho de 2013 escancarou as condições precárias dos serviços sociais, como o transporte público com tarifas caríssimas, superlotação, quantidade de linhas que não atende a população e os assédios dentro dos vagões dos trens e metrô da qual as mulheres são vítimas todos os dias. Desde o começo do ano a questão dos assédios no transporte público tem tido repercussão e sido bastante debatida entre o movimento feminista, agora com campanhas a favor e contra vagão exclusivo para as mulheres.

  • GREVE DO METRÔ DE SÃO PAULO

    A verdade sobre uma direção que não esteve ã altura da heróica greve dos metroviários

    15.07.2014 Num artigo intitulado “A verdade sobre a heróica greve dos metroviários de São Paulo” o presidente do Sindicato dos Metroviários e militante do PSTU/LIT, Altino, polemiza com o que diz ser as posições da LER-QI sobre a greve. Diz que somos um “pequeno grupo na categoria”, mas “respondeu” nosso balanço porque somos dezenas junto a independentes no Metroviários pela Base (MPB) e influenciamos outras centenas, que apesar da derrota estão tirando conclusões pela esquerda da greve, construindo uma alternativa combativa e classista. No site da LIT o texto está na capa. O PSTU quer encobrir para a esquerda internacional sua incapacidade de dirigir a greve dos metroviários para transformá-la numa “batalha de classe”. Mas no site do PSTU não se encontra. Os metroviários do PSTU nem difundem esse artigo.

  • TRAGÉDIA EM MINAS GERAIS

    Mais dois jovens mortos em obras da Copa: a prefeitura e a Cowan são as responsáveis

    05.07.2014 Mais dois jovens morreram em consequência das obras da Copa em Belo Horizonte: Hanna Cristina Santos, motorista de ônibus, de 24 anos, e Charlys Frederico Moreira do Nascimento, servente de pedreiro, de 25 anos. Prestamos nossa solidariedade no luto das famílias de Hanna e Charlys a mais essa tragédia decorrente das obras da Copa do Mundo no Brasil.

  • GREVE DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS PAULISTAS

    Fortalecer e radicalizar a greve para derrotar o CRUESP e o governo

    26.06.2014 Para os trabalhadores o chamado “choque de gestão” capitalista do governo Alckmin, que teria como objetivo reduzir os gastos do estado se traduz em medidas de ataque aos trabalhadores. A mais emblemática é a imposição do arrocho salarial dos trabalhadores e professores das universidades estaduais paulistas, e ataques diretos a educação e a saúde, como congelando as contratações, cortando exames oferecidos pelo Hospital Universitário e avançando na terceirização e privatização. Se arrocham salários dos trabalhadores e professores e serviços públicos, não fazem o mesmo com seus próprios salários que tiveram reajustes de mais de 50 %.

  • Declaração da Liga Estratégia Revolucionária – Quarta Internacional

    Por que os metroviários não venceram?

    19.06.2014 A histórica greve de 5 dias dos metroviários de São Paulo se deu numa conjuntura favorável ás vésperas da Copa, em meio ao maior ascenso de greves desde a década de 80, e num ano eleitoral. Por ser uma das categorias mais estratégicas do país, era impossível que fosse fácil vencer essa greve, pois seu resultado impacta toda a classe trabalhadora, talvez mais até do que a vitória histórica dos garis do Rio de Janeiro. Em qualquer outra situação já é claro que uma greve no Metrô de São Paulo que queira sair do “script” de campanhas salarias rotineiras, que como máximo paralisa algumas horas para ganhar 1 ou 2% a mais, impõe que se organize uma grande batalha de classe para vencer. A conjuntura favorável não minimiza isso, pois uma das principais preocupações da burguesia nesse momento é como derrotar a onda de greves. Uma das maiores expressões disso era a militarização das ruas de SP, das estações e dos pátios, principalmente depois da greve dos rodoviários. Era inevitável que o governo fosse duro contra os metroviários, inclusive para não facilitar e alentar outras lutas, particularmente aquelas mais fortes contra o próprio Alckmin, como a greve dos trabalhadores da USP, como parte das universidades estaduais paulistas, contra o arrocho salarial.

  • Frente ã escandalosa medida do governo Alckmin

    Nenhuma demissão aos metroviários em greve!

    09.06.2014 Depois da detenção de 13 metroviários pela polícia na estação Ana Rosa, enviados ao 36° DP na rua Tutoia, Vila Mariana, e a repressão ao ato de trabalhadores e da juventude em defesa dos metroviários na estação Ana Rosa, o Secretário dos Transportes de SP, Jurandir Fernandes, declarou oficialmente que 42 metroviários foram demitidos por justa causa, num total de 60 trabalhadores demitidos até agora, e que pela tarde haveria uma "nova rodada" de demissões.

  • GREVE DO METRÔ

    A quatro dias da Copa, todos unidos pela vitória dos metroviários!

    08.06.2014 No quarto dia da histórica greve dos metroviários de São Paulo, que pararam a principal capital do país a quatro dias da abertura da Copa do Mundo, o Tribunal Regional do Trabalho julgou a greve abusiva. Mostrando mais uma vez que está a serviço das classes dominantes, o Poder Judiciário viola abertamente o direito democrático de greve alegando que os metroviários deveriam manter 100% dos serviços em funcionamento nos horários de pico. Respaldando a intransigência do governo Alckimin, a Justiça mantém os 8,7% de aumento salarial inicialmente proposto pelo governo e se nega a atender todas demais reivindicações dos grevistas. Com o objetivo de quebrar a crescente disposição de luta que vem se verificando em setores cada vez mais amplos da classe trabalhadora depois do triunfo da greve dos garis do Rio de Janeiro, o Tribunal determina o corte dos dias parados e uma dura multa contra o sindicato. Com isso buscam impor, através de uma punição exemplar aos metroviários, uma derrota ao conjunto da classe trabalhadora.

  • 2° dia de greve dos metroviários de São Paulo

    Com apoio da população e fortalecimento dos piquetes é possível vencer!

    06.06.2014 Diante da intransigência do governador Geraldo Alckmin e do Secretário dos Transportes Jurandir Fernandes mais de mil metroviários ontem reunidos em assembleia decidiram por unanimidade continuar a greve pelo atendimento de suas reivindicações. Para fortalecer a greve decidiram organizar piquetes efetivos nas estações de modo a impedir o precário e inseguro “plano de contingencia” da patronal e garantir o pleno exercício do direito de greve.

  • EDIÇÕES ISKRA

    Lançamento de "A revolução Espanhola reúne 150 pessoas na USP!

    08.05.2014 Na última quarta-feira, 07 de maio, cerca de 150 pessoas participaram do lançamento da compilação de escritos de Leon Trotski sobre a Revolução Espanhola no auditório da Geografia da USP. A mesa contou com a participação de Antonio Quiozini pelas Edições Iskra e Elisabeth Yang pelo Centro de Estudios, Investigaciones y Publicaciones León Trotsky da Argentina.

  • VITÓRIA DOS GARIS DO ABCDMR

    Com o lixo no chão, está surgindo um novo movimento operário

    11.04.2014 A vitória dos Garis do Rio contagiou a categoria em todo o país. No ABCDMR não foi diferente. A greve de 8 dias dos Garis do ABC Paulista comprovou as tendências, ao menos neste setor precário e de maioria negra, presente em todo o país, de um novo e forte movimento operário, que rompe os limites impostos por suas direções e deixam como o exemplo para o conjunto dos trabalhadores de que para lutar consequentemente é necessário superar as burocráticas direções sindicais.

  • DECLARAÇÃO SOBRE A GREVE DOS GARIS DO ABCDMR

    Segue a luta dos garis do ABCDMR! Unificar os trabalhadores com seus próprios métodos para arrancar suas reivindicações!

    07.04.2014 Desde segunda-feira passada, dia 31 de Março, os trabalhadores coletores e da varrição da limpeza urbana de seis cidades do ABCDMR, com exceção de Rio Grande da Serra, cruzaram os braços reivindicando aumento salarial de 15,39% e melhores condições de trabalho. Conscientes do exemplo deixado pelo Rio de Janeiro, em meio ao Carnaval da cidade maravilhosa, os trabalhadores vem dando um forte exemplo de combatividade a cada dia que resistem aos assédios dos patrões ameaçando-os com demissões e perseguições políticas. Os trabalhadores e trabalhadoras de Santo André foram capa de um dos principais jornais regional com faixas e cartazes dos atos de quarta e quinta-feira, onde a base pressionou o sindicato para que houvesse mobilização para conquistar o apoio da população e pressionar o governo de Carlos Grana (PT) para agilizar o atendimento das reivindicações.


0 | 20 | 40 | 60 | 80 | 100 | 120 | 140 | 160 | ... | 220 .. (236)

Jornais

  • PTS (Argentina)

  • Actualidad Nacional

    MTS (México)

  • LTS (Venezuela)

  • DOSSIER : Leur démocratie et la nôtre

    CCR NPA (Francia)

  • ContraCorriente Nro42 Suplemento Especial

    Clase contra Clase (Estado Español)

  • Movimento Operário

    MRT (Brasil)

  • LOR-CI (Bolivia) Bolivia Liga Obrera Revolucionaria - Cuarta Internacional Palabra Obrera Abril-Mayo Año 2014 

Ante la entrega de nuestros sindicatos al gobierno

1° de Mayo

Reagrupar y defender la independencia política de los trabajadores Abril-Mayo de 2014 Por derecha y por izquierda

La proimperialista Ley Minera del MAS en la picota

    LOR-CI (Bolivia)

  • PTR (Chile) chile Partido de Trabajadores Revolucionarios Clase contra Clase 

En las recientes elecciones presidenciales, Bachelet alcanzó el 47% de los votos, y Matthei el 25%: deberán pasar a segunda vuelta. La participación electoral fue de solo el 50%. La votación de Bachelet, representa apenas el 22% del total de votantes. 

¿Pero se podrá avanzar en las reformas (cosméticas) anunciadas en su programa? Y en caso de poder hacerlo, ¿serán tales como se esperan en “la calle”? Editorial El Gobierno, el Parlamento y la calle

    PTR (Chile)

  • RIO (Alemania) RIO (Alemania) Revolutionäre Internationalistische Organisation Klasse gegen Klasse 

Nieder mit der EU des Kapitals!

Die Europäische Union präsentiert sich als Vereinigung Europas. Doch diese imperialistische Allianz hilft dem deutschen Kapital, andere Teile Europas und der Welt zu unterwerfen. MarxistInnen kämpfen für die Vereinigten Sozialistischen Staaten von Europa! 

Widerstand im Spanischen Staat 

Am 15. Mai 2011 begannen Jugendliche im Spanischen Staat, öffentliche Plätze zu besetzen. Drei Jahre später, am 22. März 2014, demonstrierten Hunderttausende in Madrid. Was hat sich in diesen drei Jahren verändert? Editorial Nieder mit der EU des Kapitals!

    RIO (Alemania)

  • Liga de la Revolución Socialista (LRS - Costa Rica) Costa Rica LRS En Clave Revolucionaria Noviembre Año 2013 N° 25 

Los cuatro años de gobierno de Laura Chinchilla han estado marcados por la retórica “nacionalista” en relación a Nicaragua: en la primera parte de su mandato prácticamente todo su “plan de gobierno” se centró en la “defensa” de la llamada Isla Calero, para posteriormente, en la etapa final de su administración, centrar su discurso en la “defensa” del conjunto de la provincia de Guanacaste que reclama el gobierno de Daniel Ortega como propia. Solo los abundantes escándalos de corrupción, relacionados con la Autopista San José-Caldera, los casos de ministros que no pagaban impuestos, así como el robo a mansalva durante los trabajos de construcción de la Trocha Fronteriza 1856 le pusieron límite a la retórica del equipo de gobierno, que claramente apostó a rivalizar con el vecino país del norte para encubrir sus negocios al amparo del Estado. martes, 19 de noviembre de 2013 Chovinismo y militarismo en Costa Rica bajo el paraguas del conflicto fronterizo con Nicaragua

    Liga de la Revolución Socialista (LRS - Costa Rica)

  • Grupo de la FT-CI (Uruguay) Uruguay Grupo de la FT-CI Estrategia Revolucionaria 

El año que termina estuvo signado por la mayor conflictividad laboral en más de 15 años. Si bien finalmente la mayoría de los grupos en la negociación salarial parecen llegar a un acuerdo (aún falta cerrar metalúrgicos y otros menos importantes), los mismos son un buen final para el gobierno, ya que, gracias a sus maniobras (y las de la burocracia sindical) pudieron encausar la discusión dentro de los marcos del tope salarial estipulado por el Poder Ejecutivo, utilizando la movilización controlada en los marcos salariales como factor de presión ante las patronales más duras que pujaban por el “0%” de aumento. Entre la lucha de clases, la represión, y las discusiones de los de arriba Construyamos una alternativa revolucionaria para los trabajadores y la juventud

    Grupo de la FT-CI (Uruguay)