FT-CI

DECLARAÇÃO SOBRE A GREVE DOS GARIS DO ABCDMR

Segue a luta dos garis do ABCDMR! Unificar os trabalhadores com seus próprios métodos para arrancar suas reivindicações!

07/04/2014

[1/1]
[1/1]

Por LER-QI ABC Paulista

Desde segunda-feira passada, dia 31 de Março, os trabalhadores coletores e da varrição da limpeza urbana de seis cidades do ABCDMR, com exceção de Rio Grande da Serra, cruzaram os braços reivindicando aumento salarial de 15,39% e melhores condições de trabalho. Conscientes do exemplo deixado pelo Rio de Janeiro, em meio ao Carnaval da cidade maravilhosa, os trabalhadores vem dando um forte exemplo de combatividade a cada dia que resistem aos assédios dos patrões ameaçando-os com demissões e perseguições políticas. Os trabalhadores e trabalhadoras de Santo André foram capa de um dos principais jornais regional com faixas e cartazes dos atos de quarta e quinta-feira, onde a base pressionou o sindicato para que houvesse mobilização para conquistar o apoio da população e pressionar o governo de Carlos Grana (PT) para agilizar o atendimento das reivindicações.

Os inimigos dos garis do ABCDMR

O prefeito, tentando se ausentar de sua responsabilidade, dizia que as empresas que se recusavam a aceitar o aumento exigido pelos trabalhadores, “ignorando” o fato de que a responsabilidade pela terceirização de um serviço tão essencial como a limpeza urbana é da direção do PT nas prefeituras em todo o país. Que apesar do nome “Partidos dos trabalhadores” governa para os grandes empresários e favorece empresas como as que agora se recusam a dar um aumento justo para estes trabalhadores. Enquanto os políticos seguem com casos de corrupção e desvios de verba continuam recebendo salários exorbitantes. Desafiamos o prefeito a tentar sobreviver com o salário de um coletor ou varredor! Se valoriza os trabalhadores, então, porque não os efetiva como trabalhadores da prefeitura e oferece iguais salários, iguais direitos para todos?

O SIEMACO (Sindicato dos Empregados em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação, Limpeza Urbana e Manutenção de áreas Verdes Públicas e Privadas do ABC), sindicato que representa os trabalhadores e trabalhadoras terceirizados da limpeza urbana de todo ABCDMR é assim como no Rio de Janeiro dirigido pela UGT, e durante toda a semana tentou impedir a unificação das seis cidades em greve e tentava abafar o exemplo do Rio de Janeiro com um terrorismo, de que seria ruim para a imagem dos trabalhadores do ABCDMR se ligar a esse exemplo, assim, atuava ã serviço dos patrões para dividir os trabalhadores e enfraquece-los. Na última assembleia realizada na sexta-feira (04.04), a burocracia da UGT vergonhosamente traiu os trabalhadores não permitiu o mínimo de democracia, proibiu o uso do microfone por qualquer trabalhador e nem colocou em votação a decisão do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) de ilegalidade da greve. O sindicato que devia se colocar ao lado dos trabalhadores dizia: “Contra a Justiça não se faz greve. A decisão foi tomada, o sindicato patronal não vai aumentar a proposta de 10% e não tem mais o que fazer. A posição oficial do sindicato é pelo fim da greve e vamos conversar com os trabalhadores para que cumpram essa determinação” [1]. O rechaço ã política traidora do sindicato foi grande. Com muitos gritos, os trabalhadores anunciavam que se o sindicato não iria, eles seguiriam em luta por suas reivindicações. Organizados por Comissões por locais de trabalho, saíram da assembleia com muitas tarefas para reorganizar o movimento e exigir suas demandas.

O jornal petista ABCDMaior, distribuído gratuitamente, também tentou desmoralizar a luta dos garis afirmando na sexta-feira [2] da Assembleia Geral, que a greve era considerada abusiva e anunciava a tentativa de derrota orquestrada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e a burocracia sindical da UGT: “A audiência determinou reajuste de 10%, conforme proposta das empresas do setor. O julgamento autorizou a compensação dos dias parados, mas não concedeu estabilidade no emprego aos grevistas.”

Organização independente e pela base sem confiança no sindicato traidor, governos ou nos patrões!

Sábado agora, 05 de Abril, foi um dia muito importante para reafirmar a greve sem o sindicato pelego e para retomar os métodos históricos de organização da classe trabalhadora para reorganizar a greve pelas próprias mãos. Com muitas contradições devido ao cenário subjetivo de reorganização dos trabalhadores, os garis do ABCDMR deram a prova do papel protagonista que a classe trabalhadora pode tomar. Os principais aterros sanitários da região, Peralta (Santo André) e Lara (Mauá) seguem paralisados, sendo Peralta o mais radicalizado que emana força para todas as bases das seis cidades. A formação das comissões eleitas pela base e revogáveis tem sido fundamental para que não se desarticule a greve e criar uma outra forma de organização da luta na contramão dos métodos burocráticos do sindicato da UGT, fazendo com que os trabalhadores sejam sujeito da luta e decidam juntos os rumos da luta.

Hoje, segunda-feira, haverá uma grande oportunidade para os trabalhadores unificarem as seis cidades em greve a partir de suas comissões eleitas e revogáveis e uma assembleia geral. Essa organização é decisiva para que os garis possam calar as ameaças de reposição dos dias parados, das demissões e do “inegociável” aumento de 15%. Também há um ato confirmado que deve ser o resultado do fortalecimento da luta antiburocratica que os garis vem protagonizando.

Ampliar a rede de solidariedade ativa a luta dos trabalhadores garis do ABCDMR

Nós da Liga Estratégia Revolucionária junto com os estudantes da Juventude ÀS RUAS e as mulheres do Pão e Rosas estamos desde os primeiros dias ao lado dos garis, apoiando suas reivindicações e organizando solidariedade ativa nas universidades que estamos. Desde a chapa de DCE na USP Maré Laranja como nas entidades estudantis que dirigimos Centro Acadêmico de Ciências Humanas da Unicamp e o Centro Acadêmico de Filosofia da UFMG prestamos solidariedade e seguiremos colocando nossas pequenas forças junto com o Movimento Nossa Classe para cercar de solidariedade as lutas operárias que se levantam no cenário nacional.

A partir do apoio dado pelos Metroviarios de São Paulo e dos Garis do RJ, fazemos um amplo chamado ás organizações de esquerda, movimentos sociais, grupos de direitos humanos, a se solidarizar com a greve dos garis do ABCDMR. Acreditamos que se a ala majoritária da ANEL e da CSP-Conlutas, ambas dirigidas pelo PSTU, tomarem com hierarquia essa campanha que estamos levantando no facebook “Todo apoio a luta dos garis do ABCDMR” [3] podemos discutir em cada local de trabalho e organizar um fundo de greve para criar condições que estes trabalhadores sigam lutando e conquistar mais apoio popular (que já juntamos diversas fotos e mais de 450 curtidas).

Assim, com uma forte demonstração de solidariedade, os trabalhadores e a juventude demonstram que depois das jornadas de Junho do ano passado e da vitória dos garis do Rio de Janeiro, os trabalhadores voltam ao cenário político nacional com toda força.

COMO NO RIO, NO ABC OS GARIS PODEM VENCER!

Estamos ao lados dos trabalhadores garis por:

AUMENTO DE 15,39% Já! QUE OS PREFEITOS GANHEM IGUAL OS GARIS!

NÃO A REPOSIÇÃO DOS DIAS PARADOS! PELO DIREITO DE GREVE!

NENHUMA DEMISSÃO OU PERSEGUIÇÃO POlà TICA! POR SINDICATOS SEM

BUROCRATAS, DE VOLTA PARA A MÃO DOS TRABALHADORES!

Notas relacionadas

No hay comentarios a esta nota

Jornais

  • EDITORIAL

    PTS (Argentina)

  • Actualidad Nacional

    MTS (México)

  • EDITORIAL

    LTS (Venezuela)

  • DOSSIER : Leur démocratie et la nôtre

    CCR NPA (Francia)

  • ContraCorriente Nro42 Suplemento Especial

    Clase contra Clase (Estado Español)

  • Movimento Operário

    MRT (Brasil)

  • LOR-CI (Bolivia) Bolivia Liga Obrera Revolucionaria - Cuarta Internacional Palabra Obrera Abril-Mayo Año 2014 

Ante la entrega de nuestros sindicatos al gobierno

1° de Mayo

Reagrupar y defender la independencia política de los trabajadores Abril-Mayo de 2014 Por derecha y por izquierda

La proimperialista Ley Minera del MAS en la picota

    LOR-CI (Bolivia)

  • PTR (Chile) chile Partido de Trabajadores Revolucionarios Clase contra Clase 

En las recientes elecciones presidenciales, Bachelet alcanzó el 47% de los votos, y Matthei el 25%: deberán pasar a segunda vuelta. La participación electoral fue de solo el 50%. La votación de Bachelet, representa apenas el 22% del total de votantes. 

¿Pero se podrá avanzar en las reformas (cosméticas) anunciadas en su programa? Y en caso de poder hacerlo, ¿serán tales como se esperan en “la calle”? Editorial El Gobierno, el Parlamento y la calle

    PTR (Chile)

  • RIO (Alemania) RIO (Alemania) Revolutionäre Internationalistische Organisation Klasse gegen Klasse 

Nieder mit der EU des Kapitals!

Die Europäische Union präsentiert sich als Vereinigung Europas. Doch diese imperialistische Allianz hilft dem deutschen Kapital, andere Teile Europas und der Welt zu unterwerfen. MarxistInnen kämpfen für die Vereinigten Sozialistischen Staaten von Europa! 

Widerstand im Spanischen Staat 

Am 15. Mai 2011 begannen Jugendliche im Spanischen Staat, öffentliche Plätze zu besetzen. Drei Jahre später, am 22. März 2014, demonstrierten Hunderttausende in Madrid. Was hat sich in diesen drei Jahren verändert? Editorial Nieder mit der EU des Kapitals!

    RIO (Alemania)

  • Liga de la Revolución Socialista (LRS - Costa Rica) Costa Rica LRS En Clave Revolucionaria Noviembre Año 2013 N° 25 

Los cuatro años de gobierno de Laura Chinchilla han estado marcados por la retórica “nacionalista” en relación a Nicaragua: en la primera parte de su mandato prácticamente todo su “plan de gobierno” se centró en la “defensa” de la llamada Isla Calero, para posteriormente, en la etapa final de su administración, centrar su discurso en la “defensa” del conjunto de la provincia de Guanacaste que reclama el gobierno de Daniel Ortega como propia. Solo los abundantes escándalos de corrupción, relacionados con la Autopista San José-Caldera, los casos de ministros que no pagaban impuestos, así como el robo a mansalva durante los trabajos de construcción de la Trocha Fronteriza 1856 le pusieron límite a la retórica del equipo de gobierno, que claramente apostó a rivalizar con el vecino país del norte para encubrir sus negocios al amparo del Estado. martes, 19 de noviembre de 2013 Chovinismo y militarismo en Costa Rica bajo el paraguas del conflicto fronterizo con Nicaragua

    Liga de la Revolución Socialista (LRS - Costa Rica)

  • Grupo de la FT-CI (Uruguay) Uruguay Grupo de la FT-CI Estrategia Revolucionaria 

El año que termina estuvo signado por la mayor conflictividad laboral en más de 15 años. Si bien finalmente la mayoría de los grupos en la negociación salarial parecen llegar a un acuerdo (aún falta cerrar metalúrgicos y otros menos importantes), los mismos son un buen final para el gobierno, ya que, gracias a sus maniobras (y las de la burocracia sindical) pudieron encausar la discusión dentro de los marcos del tope salarial estipulado por el Poder Ejecutivo, utilizando la movilización controlada en los marcos salariales como factor de presión ante las patronales más duras que pujaban por el “0%” de aumento. Entre la lucha de clases, la represión, y las discusiones de los de arriba Construyamos una alternativa revolucionaria para los trabajadores y la juventud

    Grupo de la FT-CI (Uruguay)